Cabeçalho do Blog

bandeira-brasil-imagem-animada-0009
Encontre-nos
PREZADOS LEITORES! À PARTIR DE HOJE ESTAREMOS POSTANDO AS ATUALIZAÇÕES DO BLOG NO NOVO ENDEREÇO ABAIXO: www.batebocamusical2.blogspot.com.br batebocamusica2

27 novembro 2013

The Muggs - Fazem Um Rock Nervoso



The Muggs é uma banda americana de blues rock e hard rock, formada em Detroit, Michigan. A banda foi formada em fevereiro de 2000, pelo guitarrista Danny Methric, o baixista Tony DeNardo e o baterista Matt Rost.

Em 2007, a banda recebeu o prêmio Best Blues Artist e Best Rock Band, e em dezembro de 2008 entraram para a lista “100 Hot Unsigned Bands”, da Music Connection Magazine. Atualmente a banda conta com mais de 60.000 fãs no Myspace.

Recém formada e já bem acolhida pelo público do rock, a banda abruptamente passou por um hiato após seu show de 2 de setembro. Logo após essa data, o baixista Tony DeNardo sofreu um derrame hemorrágico quase fatal. Como sequela, o músico ficou com o lado direito do corpo completamente paralisado e incapaz de falar. Os outros membros da banda decidiram não substituí-lo.

Aguardando pela recuperação de Tony, os outros integrantes suspenderam as atividades do The Muggs e se envolveram em projetos paralelos em outros grupos. Três arrecadações foram feitas para custear a recuperação de Tony, que pode tratar-se no sul da Califórnia. Após meses de tratamento, com as sequelas já bem reduzidas, a banda se reuniu novamente assim que o baixista saiu do hospital e retornou a Detroit, visto que o mesmo contornou a limitação do braço direito ao substituir o baixo por um teclado Fender Rhodes Mark I com timbre de baixo, com o qual, durante o tratamento, ainda internado na Califórnia, treinava por horas para aprimorar-se no novo instrumento, o que então não prejudicou sua performance. Reunida novamente, a banda assinou contrato com o selo indie Times Beach Records e deu continuidade aos projetos.
Fonte: Wikipedia 

Até que a banda é bastante eficiente no que faz tendo em vista suas limitações instrumentais, além do contrabaixo que ficou quase que restrito às marcações de tom e compasso por razões óbvias, vez ou outra se arriscando num arranjo mais ousado. Toda a discografia é um prato cheio para quem gosta do estilo. Pessoalmente tenho mais predileção pelo primeiro disco deles, encontrado com facilidade na net com as seguintes palavras-chave: "The Muggs - The Muggs (2005) - blogspot". Tenham uma boa audição.


The Muggs - Down Below

          

The Muggs - Monster

          

The Muggs - 6 to Midnite

          

24 novembro 2013

Como Aumentar A Velocidade De Download De Seus Torrents


Fazer downloads via torrent pode ser a maneira mais rápida de baixar arquivos na internet, desde que as configurações do programa usado para fazer essas transferências estejam adequadas à sua conexão.

Contudo, nem sempre uma velocidade baixa durante o download acontece devido a configurações erradas: também é preciso escolher bem os torrents que você baixa.

Neste guia, você verá algumas dicas que podem te ajudar a conseguir uma velocidade melhor quando for baixar arquivos usando o uTorrent.

Pré-requisito: Ter o programa "uTorrent" instalado.

uTorrent: como melhorar a velocidade dos downloads


Faça você mesmo

A configuração-padrão do uTorrent não estipula limites para a velocidade de upload de arquivos, o que pode comprometer a taxa de transferência dos downloads. Os mais “espertinhos” deixarão esse valor no mínimo, porém isso faz o programa identificar você como um peer ruim, diminuindo sua prioridade na hora de receber arquivos de outras pessoas. Para evitar isso, basta deixar um valor mediano.

Em Opções > Guia de Configuração, clique no menu suspenso ao lado de “Sua velocidade de upload” e escolha um valor equivalente a 80% da velocidade máxima de upload da sua conexão (use este serviço para descobri-la). Clique em “Salvar & Fechar” para sair.


uTorrent: como melhorar a velocidade dos downloads


Agora é hora de alterar as preferências do programa. Acesse Opções > Preferências > Controle de Banda: na parte inferior da janela, mude o número máximo de conexões para “450” e o número máximo de peers conectados por torrent para “200”.


uTorrent: como melhorar a velocidade dos downloads


No menu “BitTorrent”, encontre o campo “Criptografia de Protocolo” e altere o valor de saída para “Ativado”.


uTorrent: como melhorar a velocidade dos downloads


Nas configurações avançadas do uTorrent, altere para “80” os valores de “bt.auto_dl_sample_average”, “bt.auto_dl_sample_window”, “bt.ban_threshold”, “bt.connect_speed”, “rss.update_interval” e “net.max_halfopen”.


uTorrent: como melhorar a velocidade dos downloads


Quando um download estiver em andamento, clique com o botão direito sobre ele; selecione “Forçar Início” (somente em torrents com várias fontes) e Alocação de Banda > Alta.


uTorrent: como melhorar a velocidade dos downloads


Finalmente, em Preferências > Conexão, marque a opção “Liberar no Firewall do Windows” para evitar problemas como o programa ser impedido de realizar downloads.


uTorrent: como melhorar a velocidade dos downloads


Além dessas configurações, é interessante sempre prestar atenção no número de Seeds (pessoas compartilhando) e de Leechers (gente baixando) num torrent. Quando o número de pessoas querendo baixar é maior do que quem está apenas distribuindo um arquivo, a velocidade de download tende a ser muito baixa.

O mesmo acontece quando o torrent for muito novo, pois ainda são poucas as pessoas que possuem o arquivo inteiro para compartilhar – ou seja, embora você consiga velocidade boa até determinado ponto, depois dele ela baixa consideravelmente.

Por isso, ao fazer uma pesquisa em sites de torrent, sempre organize os resultados por número de seeders: quanto maior ele for, melhores são suas chances de conseguir uma boa velocidade.
Os nossos agradecimentos a Allan Valin, do site Tecmundo
Foto: www.websonic.com.br

23 novembro 2013

Apsaras - Faz Um Fusion Japonês Único



Há cera de uns 20 anos atrás eu comprei este CD num esforço de encontrar algo japonês que fugisse totalmente do trivial e da ocidentalização da música nipônica. Talvez estivesse atrás de algo novo, um Jazz, um New Age e outros sons de fusão que eu já tinha ouvido falar. Apsaras era novo para mim e comprei-o sem qualquer conhecimento do que estava adquirindo. Não me arrependi...

Os sons, os ritmos e as melodias eram diferente de tudo que eu já tinha ouvido, até então, no gênero World Music. Compassos truncados, de tempos incomuns , porém enérgicos e calmantes ao mesmo tempo. Hoje, continua sendo tão suave e expressivo como quando ouvi pela primeira vez. É o único álbum que o grupo lançou, e talvez, também o que o torna tão especial.

Que tipo de música seria esta? Como poderíamos classificá-la? Seria um Jazz Fusion japonês?.. Na época eu não sabia, mas hoje já existe um nome para isto: World Music; mas ainda insisto que isto seja mesmo é um Jazz Fusion. Eu descrevo-o como um som único e incrível que suavemente nos escorre aos ouvidos! Adoro este disco e me pego ouvindo-o de vez em quando. Ele me lembra muito meu amigo Godelo, que o ouvia com o mesmo prazer. Os ritmos, instrumentos e melodias são cativantes e intrigantes ao mesmo tempo. Os vocais japoneses dão à melodia um toque ainda mais refinado, mesmo que você não tenha idéia do que esteja sendo dito.

Apsaras foi um grupo japonês de um disco só, como centenas de outras boas bandas. Quatro das seis canções contêm vocais no idioma nacional. As outras duas músicas são instrumentais, de ritmos interessantes e sons exóticos e melódicos. Eu gosto de ouvi-lo e captar a sua atmosfera única, que evoca simultaneamente calma e inquietude, mas sem ser maçante ou entediante. Eu acho o álbum excelente como música de fundo para encontros, jantar, ou para o prazer auditivo num ambiente tranquilo, silencioso, ou mesmo num trabalho que demanda concentração. Eu recomendo este álbum para as pessoas com mentes abertas, ouvidos musicais e, principalmente, que não se importem com vocais não consumistas. Você encontra-o na internet com as palavras chave: Apsaras - Apsaras (1984) - blogspot. Delicie-se!

Apsaras - Apsaras

          

Apsaras - Ashitani

                          

Apsaras - Misato

                          

14 novembro 2013

Big Allambik - Banda De Blues Brazuca



Considerados como um dos maiores grupos de blues do país, o BIG ALLANBIK foi formado em 1992 no Rio de Janeiro. A formação contava com: Ricardo Werther, apontado pelo público e crítica como o melhor vocalista brasileiro do gênero; Alan Ghreen, pianista que já gravou com B.B.King; Big Gilson, guitarrista contratado como "endorser" das Guitarras Gibson e amplificadores Fender; UgoPerrotta, baixista e Beto Werther, baterista.

O primeiro álbum da banda, "Blues SpecialReserve", foi masterizado e prensado nos EUA e lançado em 1993. "Black Coffee", o segundo CD, teve seu show de lançamento no festival Nescafé and Blues no Palace, em São Paulo, no ano de 1995. Na época se apresentaram juntamente com grandes nomes do blues como Robert Cray, Lonnie Brooks, Otis Clay, Ronnie Earl, Robben Ford e Eric Burdon, tendo sido apontados pela crítica especializada como a melhor apresentação das bandas brasileiras deste evento.

Em outubro de 96, o Big Allambik embarcou para os EUA, se tornando a primeira banda de blues brasileira a fazer uma turnê neste país, se apresentando com grande sucesso em casas de renome internacional como o Blue Note em Nova York e o Tobacco Road em Miami. Em Chicago, eles se apresentaram no Buddy Guy’s Legends com Duke Robillard e no Chicago Blue Note juntamente com Lonnie Brooks.

Durante os shows, o Big retornava a Nova York para gravar o seu 3º CD, "Batuque y Blues", no Avalon Studios. Este estúdio propiciou ao Big sonoridades e aparelhagens específicas dos anos 70, além de um Hammond B-3 utilizado por Rick Wakeman e um piano onde Pinetop Perkins costumava gravar. Tudo isso somado ao talento do produtor Bob Stander, que trabalhou com vários artistas consagrados, como Roy Buchanan, Paul Simon, Pete Townshend e bandas como Kiss e The Platters. Com todo este material, o Big realizou uma mistura de ritmos e instrumentos brasileiros com o blues e o classic rock. "Batuque y Blues" foi lançado em 1998 contando com clássicos como "Gully Low Blues" de Louis Armstrong, "My Babe" e "Seventh Son" de Willie Dixon e "Jessica" dos Allman Brothers. Em 2000 lançaram o ao vivo "Destilado Ao Vivo". Vale a pena conferir esta banda!..
Fonte: Lagrimas psicodélicas/ release

Big Allambik - I Can´t Get Next To You

          

Big Allambik - Where's Yvone

          

Big Allambik - Can you get another man?

          

09 novembro 2013

Savoy Brown - É Blues Rock Na Cabeça!..



Savoy Brown Blues Band, o primeiro nome da banda Savoy Brown, foi uma das primeiras bandas de Blues da Inglaterra. Lá não receberam os devidos méritos; e foi nos Estados Unidos que acabaram fazendo grande sucesso, chegando mesmo a emplacar vários singles na billboard.

Foi o guitarrista Kim Simmonds quem criou e comandou a banda. Na sua formação original o grupo contava com o vocalista Bruce Portius, o tecladista Bob Hall, o guitarrista Martin Stone, o baixista Ray Chappell, e o baterista Leo Manning.

O primeiro disco, Shake Down, lançado em 1967, veio com uma série de blues covers, sem maiores empolgações. Não satisfeito com o resultado alcançado, Simmonds resolveu fazer alterações radicais na banda trazendo o guitarrista Dave Peverett, o baixista Rivers Jobe, o baterista Roger Earl, e o fantástico cantor Chris Youlden.

Com esta nova formação, o Savoy Brown rapidamente ganhou o reconhecimento do público; também porque começaram a gravar lindas canções próprias, como Train For Nowhere.

No entanto, de repente, Youlden deixou a banda em 1970, logo após o lançamento do disco Raw Sienna, e pouco tempo depois, Peverett, Earl, e o baixista Tony Stevens partiram para formar a banda Foghat. Simmonds, então, reuniu outros músicos e começou uma agitada turnê pela América, mostrando um grupo mais voltado para o blues e boogie-rock, estilos que se firmaram nos próximos álbuns.

A banda acabou se desfazendo em 1973. Durante os anos 80 e 90, Simmonds continuou mantendo a banda, porém, com rodízios constantes dos seus músicos, seguindo com as turnês e gravando novos discos. Para download, sugiro a coletânea da banda, com as palavras-chave: Savoy Brown - The Very Best Of Savoy Brown (2002) - blogspot, onde você encontrará as melhores músicas da banda.


Banda Atual
Mario Staiano (Bateria, Vocal)
Gerry Sorrentino (Baixo)
Kim Simmonds (Vocal, Guitarra)
Nathanial Peterson (Baixo, Vocal)

Savoy Brown - Little Wheel

          

Savoy Brown - Hellbound Train

          

05 novembro 2013

Tempus Fugit - Mais Um Excelente Prog Sinfônico Brasileiro



O Tempus Fugit foi formado em 1992, no bairro de Jacarepaguá, zona oeste do Rio de janeiro. Tem como identidade a música progressiva de influência sinfônica, mediante seu potencial musical que mistura, de uma forma bem equilibrada, passagens de grande harmonia e melodia suave, seguida por trechos mais rigorosos. O trabalho do quarteto já é conhecido nacional e internacionalmente.

As letras são todas cantadas e narradas no idioma inglês (o encarte contido no CD inclui todas as letras sem tradução para o português), porém, o que predomina são grandes trechos de música instrumental. A base fundamental de inspiração do quarteto carioca é o progressivo dos anos setenta. A banda é formada pelos seguintes músicos: Ary Moura, Bernard, Henrique Simões e André Mello.

Palavras-chave para download do disco: Tempus Fugit - Tales From a Forgotten World (1997) - blogspot.

Tempus Fugit - The Lord Of A Thousand Tales

          

Tempus Fugit - The City And The Crystal

          

O som lembra King Crimson, porém numa versão mais triste e reflexiva.

Tempus Fugit - The Sight

          

03 novembro 2013

Os Estilos Musicais Brasileiros



Foram várias as influências que deram origem à música brasileira. Além dessas influências, surgiram também alguns estilos próprios que se desenvolveram e acabaram se tornando nossa identidade musical.

MÚSICA INDÍGENA
Na época do descobrimento do Brasil as músicas das muitas tribos eram executadas em solos e coros, acompanhados pela dança, batidas de palmas, dos pés, flautas, apitos, cornetas, chocalhos, varetas e tambores.

MÚSICA AFRICANA
Em 1538 chegaram os primeiros escravos trazidos da África e com eles vieram suas músicas, danças, idiomas, a macumba e o candomblé – criando a base primordial de uma nova etapa fundamental na história inicial da música brasileira. Em 1630 a cultura musical dos africanados escravos negros era, não só preservada, mas desenvolvida continuamente através dos Quilombos. Surgem então as primeiras novas formas da música afro-brasileira, que desenvolveria o afoxé, jongo, lundu, maracatu, maxixe, samba e outros gêneros futuros.

MÚSICA CATÓLICA
Em 1549 chegam os primeiras missões dos jesuítas portugueses no Brasil e os padres passam a introduzir as noções elementares da música européia aos índios, apresentando-lhes seus instrumentos musicais, num primeiro contato importante de fusão e influência na nascente história da música brasileira. A partir dos rituais religiosos das missões jesuítas nascem os primeiros cultos folclóricos populares dos habitantes locais como o "reisado" e o "bumba-meu-boi". A música sacra, as melancólicas baladas e as modas portuguesas certamente contribuíram para aformação da música brasileira.

MÚSICA DOS BARBEIROS
Em meados do século XVIII, surgem, no Rio de Janeiro e Bahia, as lendárias e divertidas músicas de barbeiros. Segundo estudiosos, essa seria a primeira verdadeira manifestação de uma música popular brasileira instrumental de entretenimento público. Eles interpretavam – muito à sua maneira livre – fandangos, dobrados, quadrilhas, lundus e polcas num repertório bem diverso. Da música desses deselegantes mas charmosos barbeiros descalços, nasceriam os "ternos", as bandas de coreto, as militares e o choro. Elas existiriam até meados do século seguinte.

MODINHA
Em 1750 surge até então, o mais importante gênero musical, a modinha, criado em Portugal, e responsável pelos aspectos melódicos e românticos que caracterizam a música brasileira, de grande influência até a Nova República, no início doséculo XIX.

LUNDU
Em 1780, surgiu um dos elementos embrionários na formação do futuro samba, gênero musical trazido com os escravos bantos do Congo e Angola.

POLCA
No dia 3 de julho, é apresentada no Rio de Janeiro pela primeira vez, a polca, dança rústica da Boêmia. Depois da apresentação brasileira, a polca vira a nova febre carioca. Além de dança de salão, o gênero invade teatros e ruas, tornando-se popular através dos próximos grupos de choro e grupos carnavalescos.

RANCHO CARNAVALESCO
Em 1870 surgiu no Rio de Janeiro o primeiro rancho carnavalesco. A partir de então, esboça-se os primeiros traços do samba através de um diferente batuque de origem africana.

ÓPERA
O maestro-compositor brasileiro, o paulista Carlos Gomes (1836-1896) compõe a ópera "O Guarani" baseado no famosos romance de José de Alencar. Com ela, pela primeira vez, nascia o Brasil para o grande mundo musical. Carlos Gomes foi, sem dúvida, o maior compositor das Américas no século XIX.

CHORO
Em 1880 Surge o choro (chorinho), no Rio deJaneiro, através de pequenos grupos instrumentais. As festas das quais os chorões participavam já eram chamadas de pagodes. Esta é também a época das serenatas de fins de noite.

MAXIXE
Em 1875 nasce o maxixe – a primeira dança de par e gênero musical modernos genuinamente brasileiros. Ele surge da mistura do lundu com o tango argentino, a habanera cubana e a polca. O maxixe foi considerado tão escandaloso e polêmico quanto o lundu.
Em 1914, durante a Primeira Grande Guerra e pela primeira vez em sua história, a música brasileira chama a atenção da Europa com este estilo embrionário e provocativo do samba – o maxixe –, que se torna um dos maiores sucessos de dança no velho continente até 1922.

FREVO
Em 1890 Surge o frevo em Recife, Pernambuco. Um dos mais importantes gêneros musicais e danças do país. O frevo nasce da polca-marcha, com um ritmo frenético e contagiante, de coreografia individual improvisada e inspirada na capoeira, apoiada no uso de sombrinhas e guarda-chuvas.

MARCHA CARNAVALESCA
Em 1899 a pioneira compositora carioca de classe média Chiquinha Gonzaga (1847-1935) – a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil (em 1885) –, compõe a primeira marcha carnavalesca da história da música brasileira chamada "Ô Abre Alas", um enorme sucesso e de grande influência na consolidação das bases iniciais da música popular brasileira.

CANDOMBLÉ E UMBANDA
Em 1900 os ritmos do candomblé e umbanda são oficialmente aceitos como parte integrante da cultura brasileira. Preservam-se as músicas, escalas musicais, instrumentos como agogô, cuíca, atabaque, e suas ricas bases polirítmicas.

SERTANEJO
Em 1914 canções sertanejas se popularizam entre as classes média e alta, música sertaneja poderia também compreender o xaxado, o baião e toda manifestação musical das regiões Norte-Nordeste.

SAMBA
Em 1917 Considerado o nascimento oficial do samba. Este típico samba carioca, que misturava maxixe com frases rítmicas do folclore baiano, mais tarde espalha-se pelo Brasil e domina o carnaval.

SAMBA-CANÇÃO
De 1920/50, já acontecendo a bossa nova, surge o samba-canção, um tipo mais lento, melancólico e romântico, orquestral e introspectivo do gênero, também conhecido como samba de meio de ano, ou seja, aquele lançado depois dos sambas de carnaval. Sob forte influência do bolero, o samba-canção se firmaria mesmo a partir de 1930.

MÚSICA ERUDITA
Em 1938/45, período em que o compositor e regente Heitor Villa-Lobos (1887-1959) compõe a "Bachiana no. 5" – da célebre série de 9 – para canto e orquestra de violoncelos, sendo esta a mais admirada e tocada de todas, tendo sido, por vários anos, um dos discos mais vendidos nos Estados Unidos, Villa-Lobos é considerado o mais importante gênio musical do continente, no século XX.

BAIÃO
Em 1946 a música "baião", do pernambucano Luiz Gonzaga (1912-1989) – com letra de Humberto Teixeira –, desponta de norte a sul do país com a força de um novo estilo musical revolucionário urbano derivado da música de raízes rurais e folclóricas nordestinas.

ROCK & ROLL
Em 1955 com fortes ecos dos Estados Unidos e Inglaterra, o rock'n'roll aterrisa incipiente no país através de versões, quando Nora Ney grava a versão "Rock Around The Clock". A primeira grande estrela do gênero foi Celly Campelo (1942-) com os hits "Estúpido Cupido" e "Banho de Lua", já no início dos anos 60. E o rock'n'roll popularizava-se com outras versões de sucessos norte-americanas.

BOSSA NOVA
Em 1958, com a canção "Chega de Saudade" (Antonio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes), gravada por Elizeth Cardoso, é inaugurado oficialmente o surgimento da bossa nova, apesar de sua existência já a uma década.

MÚSICA POPULAR BRASILEIRA
Em 1960 surge o termo MPB – Música Popular Brasileira, dedécada a década, o termo MPB mudaria sua abrangência de estilos, ampliando assim o seu significado.

JOVEM GUARDA
Em 1965, o cantor Roberto Carlos é o rei da juventude nacional na liderança do movimento Jovem Guarda, apresentando um programa semanal homônimo de televisão, ao lado de Erasmo Carlos, Wanderléa e convidados como Eduardo Araujo, Martinha, Rosemary, Ronnie Von, Antonio Marcos e outros. Enquanto gênero musical, a Jovem Guarda, que surge em1963, também ficou conhecida como yê-yê-yê – a versão brasileira do rock mundial.

MÚSICA DE PROTESTO
Em 1965, com a repressão e a censura instauradas pelo regime militar, configura-se o espírito para o surgimento das músicas de protesto, Geraldo Vandré atingiu o ponto máximo de sua carreira com a então clássica e polêmica canção "Pra Não Dizer Que Não Falei das Flores", ou "Caminhando" (1968).

FUNK
Em 1970, surge no Rio de Janeiro um fenômeno que se caracterizaria como tipicamente carioca – os bailes funk. Os "bailes da pesada", como eram conhecidos, foram espalhando-se para os clubes do subúrbio. Com a proliferação de uma multidão de dançarinos populares, os adeptos do movimento, trajavam roupas black de ocasião, cabelos afro e sapatos plataforma coloridos.

ROCK POP
Em 1980/87, em busca de novas alternativas musicais parte da elite da juventude brasileira de classe média provoca uma nova onda de rock e pop apoiada no movimento pós-punk new wave, que domina totalmente o cenário musical nacional. Daí, surgemTitãs, Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, Barão Vermelho, RPM, Ultraje a Rigor, Kid Abelha, Engenheiros do Hawaii, Lobão, Biquini Cavadão, Ratos de Porão, Inocentes, e muitos outros.

LAMBADA
Em 1984/90, antecedendo o surgimento da axé music, a lambada baiana torna-se um dos mais populares estilos de dança brasileira atual a misturar samba, maxixe e dança erótica. O maior sucesso foi do grupo Kaoma com "Lambada", uma versão do tema latino "Llorando Se Fue", do grupo Los Kjarkas. Por falta de substância musical e limitação coreográfica, o gênero teve breve período de tempo, mas ainda provoca uma onda de escolas temporárias da dança por todo o país.

HIP HOP
Em 1985, dentro ainda da grande década do rock brasileiro, e pela primeira vez em toda América Latina, a grande novidade norte-americana do movimento hip hop com o rap, grafite e a breakdance, A partir daí, com a aceitação gradual do novo movimento pela mídia, o hip hop cresceria firmemente em importância e novos nomes, atingindo um de seus apogeus nos anos 90.
 
AXÉ MUSIC
Em 1985, a música "Fricote", do baiano Luiz Caldas, inaugura oficialmente o movimento axé music. O estilo é caracterizado pelo forte uso da percussão baiana como repique, timbau e surdos. Em geral, as letras falam da sensualidade do corpo, do requebrar dos quadris e de danças, cheias de ironia e um segundo sentido.
 
SERTANEJA
No final dos anos 80 surge a nova música sertaneja de sotaque country americano – nessa ordem.

ROCK
Surge uma nova geração de bandas de rock dos anos 90 como o Pato Fu, Skank, Raimundos, O Rappa, Jota Quest, o polêmico Planet Hemp, o grupo soul Fat Family, e outras. Há espaço para ritmos africanos, latinos e jamaicanos – como o reggae e o ska, que dão a base para grupos como Cidade Negra, Tribo de Jah, ex-Nativus e outros.
 
MPB
Em 1997, afirma-se mais uma brilhante geração intermediária de novos nomes na música popular brasileira, de diferentes regiões e com algumas novas propostas de fusões da música nordestina e folclórica, com a do Sul-Sudeste e a do mundo pop internacional. Estamos falando de nomes como Carlinhos Brown (BA), Arnaldo Antunes (SP), Chico César (PB), Zeca Baleiro, e outros.
 
POP ELETRÔNICO
Quase no final dos anos 90, presencia-se uma certa corrida à chamada música pop eletrônica, mas, novamente mais como efeito de arranjos musicais, uma vez que ogênero tecno não admite vocal. A exemplo do que ocorre nas grandes capitais do mundo, já há algum tempo o Brasil começa a viver o auge do culto aos DJs, que produzem as grandes festas ao ar livre chamadas de 'raves', ou em casas noturnas, e lançam CDs com remixagens e temas de suas preferências. A remixagem (o remix) é uma das manifestações musicais do momento.

01 novembro 2013

Aquaplanage - Raríssima Banda de Progressivo Sinfônico



Não se encontra muita informação sobre a banda Aquaplanage. Só sei que são da Inglaterra, descendentes da excelente e criativa banda Fragile e fazem um maravilhoso progressivo sinfônico. Os arranjos e a instrumentação nos lembra com facilidade Yes e Jethro Tull nos momentos de flauta.

Os componentes da banda são Robert Illesh (guitarras, vocais, teclados, arranjos orquestrais, flauta, programação), Steve Carney (vocais), Jon Bastable (viola e baixo) e Tom Dawe (guitarra). Também com: Max Hunt (teclados), Mitch Harwood (bateria e vocal), Deborah Peake (violino), Ruth McGibben (viola) e Sophie Hurr (violoncelo).

Com sorte você ainda encontra para download o único disco da banda até o momento, com as seguintes palavras-chave: Aquaplanage - Aquaplanage (2008) - blogspot.  Vários vídeos da banda foram desabilitados para postagens, sobrando somente o vídeo que segue, mas no Youtube você ainda consegue assistir os vídeos das demais faixas do disco. É só entrar nos seguintes endereços abaixo:
 
http://www.youtube.com/watch?v=q4Icxy6uJdc

http://www.youtube.com/watch?v=sBCLkYbuyn4


Aquaplanage - Ode To Grey Mornings

          

                            Encontre-nos nas Redes Sociais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...