Faça seu Registro Aqui

bandeira-brasil-imagem-animada-0009
Encontre-nos
Bem-vindos, Amigos!   Informamos que Só atenderemos pedidos de Informações de Seguidores Registrados no Blog
e se forem solicitados única e exclusivamente através do nosso Email.   Registre-se logo abaixo à Direita.

03 novembro 2013

Os Estilos Musicais Brasileiros



Foram várias as influências que deram origem à música brasileira. Além dessas influências, surgiram também alguns estilos próprios que se desenvolveram e acabaram se tornando nossa identidade musical.

MÚSICA INDÍGENA
Na época do descobrimento do Brasil as músicas das muitas tribos eram executadas em solos e coros, acompanhados pela dança, batidas de palmas, dos pés, flautas, apitos, cornetas, chocalhos, varetas e tambores.

MÚSICA AFRICANA
Em 1538 chegaram os primeiros escravos trazidos da África e com eles vieram suas músicas, danças, idiomas, a macumba e o candomblé – criando a base primordial de uma nova etapa fundamental na história inicial da música brasileira. Em 1630 a cultura musical dos africanados escravos negros era, não só preservada, mas desenvolvida continuamente através dos Quilombos. Surgem então as primeiras novas formas da música afro-brasileira, que desenvolveria o afoxé, jongo, lundu, maracatu, maxixe, samba e outros gêneros futuros.

MÚSICA CATÓLICA
Em 1549 chegam os primeiras missões dos jesuítas portugueses no Brasil e os padres passam a introduzir as noções elementares da música européia aos índios, apresentando-lhes seus instrumentos musicais, num primeiro contato importante de fusão e influência na nascente história da música brasileira. A partir dos rituais religiosos das missões jesuítas nascem os primeiros cultos folclóricos populares dos habitantes locais como o "reisado" e o "bumba-meu-boi". A música sacra, as melancólicas baladas e as modas portuguesas certamente contribuíram para aformação da música brasileira.

MÚSICA DOS BARBEIROS
Em meados do século XVIII, surgem, no Rio de Janeiro e Bahia, as lendárias e divertidas músicas de barbeiros. Segundo estudiosos, essa seria a primeira verdadeira manifestação de uma música popular brasileira instrumental de entretenimento público. Eles interpretavam – muito à sua maneira livre – fandangos, dobrados, quadrilhas, lundus e polcas num repertório bem diverso. Da música desses deselegantes mas charmosos barbeiros descalços, nasceriam os "ternos", as bandas de coreto, as militares e o choro. Elas existiriam até meados do século seguinte.

MODINHA
Em 1750 surge até então, o mais importante gênero musical, a modinha, criado em Portugal, e responsável pelos aspectos melódicos e românticos que caracterizam a música brasileira, de grande influência até a Nova República, no início doséculo XIX.

LUNDU
Em 1780, surgiu um dos elementos embrionários na formação do futuro samba, gênero musical trazido com os escravos bantos do Congo e Angola.

POLCA
No dia 3 de julho, é apresentada no Rio de Janeiro pela primeira vez, a polca, dança rústica da Boêmia. Depois da apresentação brasileira, a polca vira a nova febre carioca. Além de dança de salão, o gênero invade teatros e ruas, tornando-se popular através dos próximos grupos de choro e grupos carnavalescos.

RANCHO CARNAVALESCO
Em 1870 surgiu no Rio de Janeiro o primeiro rancho carnavalesco. A partir de então, esboça-se os primeiros traços do samba através de um diferente batuque de origem africana.

ÓPERA
O maestro-compositor brasileiro, o paulista Carlos Gomes (1836-1896) compõe a ópera "O Guarani" baseado no famosos romance de José de Alencar. Com ela, pela primeira vez, nascia o Brasil para o grande mundo musical. Carlos Gomes foi, sem dúvida, o maior compositor das Américas no século XIX.

CHORO
Em 1880 Surge o choro (chorinho), no Rio deJaneiro, através de pequenos grupos instrumentais. As festas das quais os chorões participavam já eram chamadas de pagodes. Esta é também a época das serenatas de fins de noite.

MAXIXE
Em 1875 nasce o maxixe – a primeira dança de par e gênero musical modernos genuinamente brasileiros. Ele surge da mistura do lundu com o tango argentino, a habanera cubana e a polca. O maxixe foi considerado tão escandaloso e polêmico quanto o lundu.
Em 1914, durante a Primeira Grande Guerra e pela primeira vez em sua história, a música brasileira chama a atenção da Europa com este estilo embrionário e provocativo do samba – o maxixe –, que se torna um dos maiores sucessos de dança no velho continente até 1922.

FREVO
Em 1890 Surge o frevo em Recife, Pernambuco. Um dos mais importantes gêneros musicais e danças do país. O frevo nasce da polca-marcha, com um ritmo frenético e contagiante, de coreografia individual improvisada e inspirada na capoeira, apoiada no uso de sombrinhas e guarda-chuvas.

MARCHA CARNAVALESCA
Em 1899 a pioneira compositora carioca de classe média Chiquinha Gonzaga (1847-1935) – a primeira mulher a reger uma orquestra no Brasil (em 1885) –, compõe a primeira marcha carnavalesca da história da música brasileira chamada "Ô Abre Alas", um enorme sucesso e de grande influência na consolidação das bases iniciais da música popular brasileira.

CANDOMBLÉ E UMBANDA
Em 1900 os ritmos do candomblé e umbanda são oficialmente aceitos como parte integrante da cultura brasileira. Preservam-se as músicas, escalas musicais, instrumentos como agogô, cuíca, atabaque, e suas ricas bases polirítmicas.

SERTANEJO
Em 1914 canções sertanejas se popularizam entre as classes média e alta, música sertaneja poderia também compreender o xaxado, o baião e toda manifestação musical das regiões Norte-Nordeste.

SAMBA
Em 1917 Considerado o nascimento oficial do samba. Este típico samba carioca, que misturava maxixe com frases rítmicas do folclore baiano, mais tarde espalha-se pelo Brasil e domina o carnaval.

SAMBA-CANÇÃO
De 1920/50, já acontecendo a bossa nova, surge o samba-canção, um tipo mais lento, melancólico e romântico, orquestral e introspectivo do gênero, também conhecido como samba de meio de ano, ou seja, aquele lançado depois dos sambas de carnaval. Sob forte influência do bolero, o samba-canção se firmaria mesmo a partir de 1930.

MÚSICA ERUDITA
Em 1938/45, período em que o compositor e regente Heitor Villa-Lobos (1887-1959) compõe a "Bachiana no. 5" – da célebre série de 9 – para canto e orquestra de violoncelos, sendo esta a mais admirada e tocada de todas, tendo sido, por vários anos, um dos discos mais vendidos nos Estados Unidos, Villa-Lobos é considerado o mais importante gênio musical do continente, no século XX.

BAIÃO
Em 1946 a música "baião", do pernambucano Luiz Gonzaga (1912-1989) – com letra de Humberto Teixeira –, desponta de norte a sul do país com a força de um novo estilo musical revolucionário urbano derivado da música de raízes rurais e folclóricas nordestinas.

ROCK & ROLL
Em 1955 com fortes ecos dos Estados Unidos e Inglaterra, o rock'n'roll aterrisa incipiente no país através de versões, quando Nora Ney grava a versão "Rock Around The Clock". A primeira grande estrela do gênero foi Celly Campelo (1942-) com os hits "Estúpido Cupido" e "Banho de Lua", já no início dos anos 60. E o rock'n'roll popularizava-se com outras versões de sucessos norte-americanas.

BOSSA NOVA
Em 1958, com a canção "Chega de Saudade" (Antonio Carlos Jobim e Vinícius de Moraes), gravada por Elizeth Cardoso, é inaugurado oficialmente o surgimento da bossa nova, apesar de sua existência já a uma década.

MÚSICA POPULAR BRASILEIRA
Em 1960 surge o termo MPB – Música Popular Brasileira, dedécada a década, o termo MPB mudaria sua abrangência de estilos, ampliando assim o seu significado.

JOVEM GUARDA
Em 1965, o cantor Roberto Carlos é o rei da juventude nacional na liderança do movimento Jovem Guarda, apresentando um programa semanal homônimo de televisão, ao lado de Erasmo Carlos, Wanderléa e convidados como Eduardo Araujo, Martinha, Rosemary, Ronnie Von, Antonio Marcos e outros. Enquanto gênero musical, a Jovem Guarda, que surge em1963, também ficou conhecida como yê-yê-yê – a versão brasileira do rock mundial.

MÚSICA DE PROTESTO
Em 1965, com a repressão e a censura instauradas pelo regime militar, configura-se o espírito para o surgimento das músicas de protesto, Geraldo Vandré atingiu o ponto máximo de sua carreira com a então clássica e polêmica canção "Pra Não Dizer Que Não Falei das Flores", ou "Caminhando" (1968).

FUNK
Em 1970, surge no Rio de Janeiro um fenômeno que se caracterizaria como tipicamente carioca – os bailes funk. Os "bailes da pesada", como eram conhecidos, foram espalhando-se para os clubes do subúrbio. Com a proliferação de uma multidão de dançarinos populares, os adeptos do movimento, trajavam roupas black de ocasião, cabelos afro e sapatos plataforma coloridos.

ROCK POP
Em 1980/87, em busca de novas alternativas musicais parte da elite da juventude brasileira de classe média provoca uma nova onda de rock e pop apoiada no movimento pós-punk new wave, que domina totalmente o cenário musical nacional. Daí, surgemTitãs, Paralamas do Sucesso, Legião Urbana, Barão Vermelho, RPM, Ultraje a Rigor, Kid Abelha, Engenheiros do Hawaii, Lobão, Biquini Cavadão, Ratos de Porão, Inocentes, e muitos outros.

LAMBADA
Em 1984/90, antecedendo o surgimento da axé music, a lambada baiana torna-se um dos mais populares estilos de dança brasileira atual a misturar samba, maxixe e dança erótica. O maior sucesso foi do grupo Kaoma com "Lambada", uma versão do tema latino "Llorando Se Fue", do grupo Los Kjarkas. Por falta de substância musical e limitação coreográfica, o gênero teve breve período de tempo, mas ainda provoca uma onda de escolas temporárias da dança por todo o país.

HIP HOP
Em 1985, dentro ainda da grande década do rock brasileiro, e pela primeira vez em toda América Latina, a grande novidade norte-americana do movimento hip hop com o rap, grafite e a breakdance, A partir daí, com a aceitação gradual do novo movimento pela mídia, o hip hop cresceria firmemente em importância e novos nomes, atingindo um de seus apogeus nos anos 90.
 
AXÉ MUSIC
Em 1985, a música "Fricote", do baiano Luiz Caldas, inaugura oficialmente o movimento axé music. O estilo é caracterizado pelo forte uso da percussão baiana como repique, timbau e surdos. Em geral, as letras falam da sensualidade do corpo, do requebrar dos quadris e de danças, cheias de ironia e um segundo sentido.
 
SERTANEJA
No final dos anos 80 surge a nova música sertaneja de sotaque country americano – nessa ordem.

ROCK
Surge uma nova geração de bandas de rock dos anos 90 como o Pato Fu, Skank, Raimundos, O Rappa, Jota Quest, o polêmico Planet Hemp, o grupo soul Fat Family, e outras. Há espaço para ritmos africanos, latinos e jamaicanos – como o reggae e o ska, que dão a base para grupos como Cidade Negra, Tribo de Jah, ex-Nativus e outros.
 
MPB
Em 1997, afirma-se mais uma brilhante geração intermediária de novos nomes na música popular brasileira, de diferentes regiões e com algumas novas propostas de fusões da música nordestina e folclórica, com a do Sul-Sudeste e a do mundo pop internacional. Estamos falando de nomes como Carlinhos Brown (BA), Arnaldo Antunes (SP), Chico César (PB), Zeca Baleiro, e outros.
 
POP ELETRÔNICO
Quase no final dos anos 90, presencia-se uma certa corrida à chamada música pop eletrônica, mas, novamente mais como efeito de arranjos musicais, uma vez que ogênero tecno não admite vocal. A exemplo do que ocorre nas grandes capitais do mundo, já há algum tempo o Brasil começa a viver o auge do culto aos DJs, que produzem as grandes festas ao ar livre chamadas de 'raves', ou em casas noturnas, e lançam CDs com remixagens e temas de suas preferências. A remixagem (o remix) é uma das manifestações musicais do momento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



                                                     AVISO IMPORTANTE:
       Amigos, informamos que não atenderemos pedidos de links feitos através dos "Comentários", pelas "Redes Sociais", ou ainda pelo "Chat" do blog. Com o intuito de    agilizarmos o atendimento os leitores deverão usar exclusivamente o "Email" do blog.
 

                            Encontre-nos nas Redes Sociais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...