Faça seu Registro Aqui

bandeira-brasil-imagem-animada-0009
Encontre-nos
Bem-vindos!   Só atenderemos pedidos de Informações de Seguidores do blog
e se forem solicitados exclusivamente através do nosso Email.   Obrigado.

30 setembro 2014

Player - Soft Rock Americano dos Anos 70



Player é uma banda americana de soft rock da década de 70, que ficou mais conhecida mundialmente com a famosa balada "Baby Come Back", de 1970, a canção que de cara emplacou como a nº1  na parada da Billboard durante 3 semanas seguidas.

Além do soft rock o trabalho da banda gira em torno do rock, do pop e da disco. Lançaram alguns discos no mercado, mas a única música que realmente emplacou foi  "Baby Come Back". Esta é mais uma das muitas bandas de sucesso único. Uma pena. Eles poderiam ter produzido muita coisa boa, pois os caras não são ruins!..

A banda é formada por Peter Beckett (voz, guitarra), John Charles "J.C." Crowley (vocais, teclados, guitarra), Ronn Moss (baixo, vocais), John Friesen (bateria) e o músico convidado Wayne Cook (teclados).

O grupo chegou a lançar 6 discos de estúdio e algumas compilações como a coletânea " Player - The Best Of Player", de 1998, que é a dica de hoje para download.


Player - Baby Come Back (tradução)

             

Player - Concellation

             

Player - Goodbye (That's All I Ever Heard)

             

25 setembro 2014

Blues Etílicos - A primeira Banda Profissional De Blues Nacional



Blues Etílicos foi a primeira banda profissional brasileira de blues a se estabelecer no mercado nacional. Desde meados dos anos 80, a banda produziu uma extensa obra autoral, com músicas cantadas em português e inglês, bem como diversas músicas instrumentais.

Com a mesma formação básica de uma banda de eletric blues: duas guitarras, baixo, bateria e harmônica amplificada, Blues Etílicos vem mantendo uma carreira ininterrupta de quase três décadas, tornando-se a marca mais forte do blues nacional. Suas composições instrumentais curiosamente têm seus títulos inspirados no reino animal, tais como Camelo, Dromedário, Pelicano, Cachorrada e Texas Frogs. A formação da banda conta com Flávio Guimarães (gaita); Greg Wilson (guitarra); Otávio Rocha (guitarra); Cláudio Bedran (baixo) e Pedro Strasser (bateria).

É a mais popular banda de blues brasileira, recordista em público nos shows e em vendagens de CDs no segmento, a banda comemorou 25 anos de carreira em 2010 com o lançamento de seu primeiro DVD: Blues Etílicos ao vivo no Bolshoi Pub.

O Blues Etílicos já lançou 10 CDs, abrindo shows para B. B. King, Buddy Guy, Robert Cray, Sugar Blue, Ike Turner, Magic Slim e muitas outras atrações internacionais.

A empatia do grupo com o público deve-se à originalidade de compor tanto em inglês quanto português. O vocalista norte americano Greg Wilson confere autenticidade e sotaque correto às canções em inglês. Os solistas de gaita e guitarra, Flávio Guimarães e Otávio Rocha, se destacam nos solos, acompanhados pela cozinha coesa e cheia de swing de Pedro Strasser, na bateria, e Cláudio Bedran, no baixo. Qualquer boa coletânea deles suprirá com satisfação a quem gosta de um bom blues nacional.

Blues Etílicos - Espelho cristalino

             

Blues Etílicos - Puro malte

             

Blues Etílicos - Cotidiano nº2

             

Blues Etílicos - Misty Mountain

           

23 setembro 2014

Demis Roussos e o Romantismo Presente nas Canções dos Anos 70



O cantor de música pop romântica Demis Roussos nasceu em Alexandria, Egito. Não vivendo muito tempo por lá, a família acaba fixando residência na Grécia. O cantor foi fortemente influenciado pela música árabe e era fã do estilo jazz. Aprendeu tocar alguns instrumentos e durante sua carreira produziu também canções de estilo folk, rock progressivo e world music.

Demis participou de vários grupos musicais. O primeiro, com dezessete anos, "The Idols", quando ele tinha de trabalhar para sustentar sua família. Já nesse grupo Demis começou a se destacar como cantor quando substituia o vocalista em suas folgas. Depois, com o compositor Lakis Vlavianos, Roussos deu início à banda "We Five", já como vocalista principal.

Mas somente começou a ficar mais conhecido a partir de 1968, com a banda de rock progressivo "Aphrodite's Child", formada no Reino Unido, para a qual Demis associou-se a outros dois músicos gregos, respectivamente, Vangelis e Loukas Sideras, primeiramente como vocalista e depois também como guitarrista e baixista. Vangelis ficou como compositor principal e tecladista, enquanto Loukas cuidava da bateria. No entanto, por falta de permissão para trabalhar na Inglaterra, o grupo mudou-se para Paris.

O primeiro álbum foi "Rain and Tears", o qual obteve tremendo sucesso e vendeu um milhão de discos apenas na França. Nos próximos três anos o desempenho do grupo foi excelente. Com a voz estilo ópera de Roussos, bem incomum na época, a banda passou a fazer sucesso a nível internacional. Foi quando lançaram o excelente disco "666" em 1970, mas, logo após o lançamento dessa obra, por razões diversas, decidiram acabar com o grupo. Encontra-se no mercado fonográfico boas coletâneas do cantor.
Fonte: Wikipedia

Demis Roussos - Forever And Ever (tradução)

             

Demis Roussos - We Shall Dance (tradução)

             


Demis Roussos - We Shall Dance (tradução)


Dançaremos

Dançaremos, Dançaremos
No dia em que tivermos a chance
De pagar todos os violinos do salão
Dançaremos, Dançaremos

No dia em que tivermos a chance
De conseguirmos uns trocados para comprar de volta nossas almas
Dançaremos, Dançaremos Meu querido amor, Ó minha primavera
Meu amor bons dias virão

Verás o milho crescer na primavera
Minha primavera
Minha de primavera

Dançaremos, Dançaremos
No dia em que tivermos a chance
De pagar todos os violinos do salão
Dançaremos, Dançaremos

Com as crianças que brincam
Senhor eu juro, quando a hora chegar, rezaremos
Devemos dançar, devemos cantar
Meu querido amor, Ó minha primavera

Meu amor terás uma casa
Com telhado e paredes
Fogo com carvão
Minha alma, minha alma

Dançaremos, Dançaremos
No dia em que tivermos a chance
De pagar todos os violinos do salão
Dançaremos, Dançaremos

Com as crianças que brincam
Senhor eu juro, quando a hora chegar, rezaremos
Tradução: Vagalume

Demis Roussos - Rain And Tears (tradução)

             

21 setembro 2014

Alfa Eden - Um Rock Brasileiro Competente



A excelente banda de rock paranaense,  Alfa Eden, da cidade de Apucarana, é formada pelos músicos João Elias (guitarra, cantor, compositor e cover do Raul Seixas), Jeferson Grella (guitarra), João Acedo (baixo) e Gobbi Junior (bateria).

Fazendo um rock agradável e conceituado, os caras rodam o país inteiro aproveitando todas as oportunidades que surgem, tocando em bares, lanchonetes, boates, festivais, praças públicas e encontros de motociclistas, cantando suas próprias músicas. Mas, enquanto não recebem uma devida atenção da mídia, a atração principal ainda continua sendo o Show cover de Raul Seixas que o grupo faz com muita propriedade.

É impressionante como as músicas autorais nos lembram de imediato o estilo musical de Raul.  Não estou aqui sugerindo nenhuma comparação de caráter copiatório ou depreciativo. Estou me referindo à qualidade de um grupo que consegue com muita eficiência retratar uma versão própria, mais moderna e polida, de como seria Raul Seixas nos dias de hoje; até porque, ficará bastante difícil se libertarem dessa comparação, já que o timbre de voz do vocalista João Elias é praticamente o mesmo do seu ídolo.

Na busca de uma vida musical própria, este conceituado vocalista decidiu dar um passo a mais e resolveu lançar um projeto autoral com belas e bem estruturadas canções inéditas. Foi quando decidiu chamar alguns amigos para formar a banda Alfa Eden. Como resultado desta iniciativa surgiu o ótimo álbum "No Príncipio", lançado em 2010, para a satisfação dos amantes do estilo . Acima está a capa do álbum, que está disponível na internet, sendo a dica de hoje para um imperdível download.

Alfa Eden - Lágrimas



Alfa Eden - Corpo Estranho



Alfa Eden - Olhos Negros



Alfa Eden - Dizer Adeus



19 setembro 2014

Nazareth - Rock Romântico Escocês Anos 70/80



As origens do Nazareth remontam a 1961, ano em que Pete Agnew fundou o "The Shadettes". A primeira formação deste grupo foi: Pete Agnew (guitarra e vocal), Brian 'Pye' Brady (guitarra), Alfie Murray (guitarra), Alan Fraser (bateria) e Bobby Spence (baixo).

O grupo ganhou consistência, nos anos de 1964 e 1965, com a chegada de Darrel Sweet e Dan McCafferty. Em 1968, dois acontecimentos muito importantes na história da banda: o ingresso do lendário guitarrista Manny Charlton e a mudança do nome para Nazareth.

Até então o grupo limitava-se a fazer covers; porém, com Manny integrado ao grupo, os escoceses passaram a compor material próprio. Após a mudança para Londres, lançaram seu primeiro disco, chamado Nazareth, em 1971. Em 1972 chamaram a atenção no mundo da música com o seu segundo álbum Exercises , que foi o trabalho mais leve já realizado pela banda.

Em 1973, a banda procurava por um produtor para seu próximo álbum, que haveria de ter um som bem mais pesado que o anterior. A escolha não poderia ter sido melhor: Roger Glover. Segundo Dan McCafferty, "Roger Glover acabou envolvendo-se naquele álbum, pois o Nazareth estava abrindo shows para o Deep Purple na parte inglesa da turnê. Estávamos procurando um produtor, e então tocamos nossas Demos para o Roger, que obviamente já havia nos visto ao vivo. Ele gostou do material e fomos para o estúdio. Tudo foi muito simples, pois todos sabíamos o que queríamos dentro da banda, e o Roger, por estar em turnê conosco, também sabia. Gravamos tudo em duas semanas, e tínhamos que fazer duas músicas por dia (risos). Teve que ser um trabalho bem objetivo!" (trecho de entrevista publicada na revista Roadie Crew, edição n° 76 - maio/2005 - com reportagem de Claudio Vicentim e fotos de Ricardo Zupa). Assim, surgiu Razamanaz, disco que lançou o Nazareth ao estrelato e culminou com duas músicas qualificadas entre as dez mais tocadas no Reino Unido - "Broken Down Angel" e "Bad Bad Boy".
Dados: Wikipedia

E de lá para cá vários sucessos foram se sucedendo e a banda continua na ativa até hoje. O disco "Nazareth - The Anthology", de 2009, é a dica de hoje para download, contendo todos os sucessos inesquecíveis do grupo.

Nazareth - Love Hurts (tradução)

             


Nazareth - Love Hurts (tradução)

O Amor Machuca

O amor machuca, o amor deixa cicatrizes, o amor fere e prejudica
Qualquer coração que não seja resistente ou forte o suficiente
Para aguentar muita dor, aguentar muita dor.
O amor é como uma nuvem, contém muita chuva.
O amor machuca, oh, oh, o amor machuca

Sou jovem, eu sei, mas mesmo assim
Eu sei que uma coisa ou duas, que eu aprendi com você.
Eu realmente aprendi muito, realmente aprendi muito.
O amor é como uma chama: ele te queima quando é ardente.
O amor machuca... Ooh, ooh, o amor machuca.

Alguns tolos pensam em felicidade, suprema alegria, união.
Alguns tolos enganam a si mesmos, eu acho,
Mas eles não estão enganando a mim.
Eu sei que não é verdade, eu sei que não é verdade.
O amor é apenas uma mentira criada para te deixar triste.
O amor machuca... Ooh, ooh, o amor machuca...
Oh, oh, o amor machuca
Oh, oh
Tradução: letras.mus.br

Nazareth - Dream On (tradução)

             


Nazareth - Dream On (tradução)


Continue Sonhando

Continue sonhando
Embora seja difícil reconhecer
Embora você esteja enganando a si mesma
Continue sonhando

Continue sonhando
Você pode se esconder
Não há nada a dizer, então continue sonhando

Continue sonhando
Embora seja difícil reconhecer
Embora você esteja enganando a si mesma, continue sonhando

Você pode rir de mim porque eu estou chorando
Você pode contar a seus amigos o quanto eu te implorei pra ficar
Você pode viver sua fantasia sem mim
Mas você nunca irá saber o quanto eu precisava de você

Continue sonhando
Isso é fácil para você
Embora eu esteja partido em dois, continue sonhando

Continue sonhando
Você não pode ver
O que está fazendo para mim, então continue sonhando

Você pode partir seu coração e continuar mentindo
Você pode contar as razões pelas quais jogou isso fora
Você pode sonhar com sua vida longe de mim
Mas você nunca irá saber o quanto eu precisava de você

Você pode rir de mim porque eu estou chorando
Você pode contar a seus amigos o quanto eu te implorei pra ficar
Você pode viver sua fantasia sem mim
Mas você nunca irá saber o quanto eu precisava de você

Continue sonhando
Isso é fácil para você
Embora eu esteja partido em dois, continue sonhando

Continue sonhando
Você não pode ver
O que está fazendo para mim, então continue sonhando

Continue sonhando
Embora seja difícil reconhecer
Embora você esteja enganando a si mesma
Continue sonhando
Tradução: letras.mus.br

Nazareth - Love Leads to Madness (tradução)

             

Nazareth - We Are You Now (tradução)

             

17 setembro 2014

Alpha III - Excelente Prog Eletrônico Brasileiro Anos 80



O ALPHA III pode ser considerado um dos mais importantes grupos do Progressivo/Eletrônico nacional, não somente por ter surgido em um período extremamente ingrato (os anos 80) como também pela sua longa carreira e extensa discografia.

Some-se ainda o fato de ter tido alguns de seus trabalhos editados pelas importantes gravadoras FAUNUS (a pioneira no Brasil em produzir álbuns do gênero), ROCK SYMPHONY (a brasileira com maior número de lançamentos) e MELLOW RECORDS (italiana, foi uma das principais a resgatar o estilo em escala mundial).

Entre seus seus principais lançamentos estão os discos: “Sombras” (1986), “Ruínas Circulares” (1987), “The Aleph” (1989) e “The Voyage to Ixtlan” (1993), que mais me agrada, sendo a dica de hoje para download.


Alpha III - The Nagual

             

Alpha III - Voyage to Ixtlan

             

16 setembro 2014

Como Recuperar HD Interno/Externo Danificado ou os Arquivos Neles Perdidos

             


Um belo dia aquele HD que continha seus dados deu “piripac” e você lembrou que não tinha cópia dos dados… e agora, o que fazer?

Antes de se desesperar, faça alguns testes para saber se o mesmo tem recuperação. Existem alguns testes básicos que você mesmo pode fazer e assim ter informações suficientes para a tomada de decisão.

Antes, porém, uma dica universal: NÃO FORMATE!

E outra: Nunca, jamais, sob hipótese alguma desmonte o disco, pois ele é fechado hermeticamente para evitar danos nos discos (que são magnéticos e atraem tudo quanto é tipo de sujeira).

Todo HD, para ser reconhecido pela BIOS, deve:

a) ser alimentado (energia elétrica);

b) estar jumpeado ou pelo menos ser reconhecido automaticamente em nível de conexão (primário, secundário, sata, ide, sas (novo scsi), etc);

Se ele não aparecer na tela inicial da BIOS existem boas chances de a placa eletrônica (alguns chamam de placa lógica) – (externa – de circuitos eletrônicos, geralmente da cor verde) estar danificada ou a CMOS não conseguiu identificá-lo adequadamente (HD Sata são automaticamente reconhecidos).

Como testar um HD para saber se está danificado?


Primeiramente entre na BIOS e verifique se ele está sendo detectado (o local depende muito do fabricante da BIOS), mas geralmente no primeiro item da tela da BIOS ou em STANDARD CMOS FEATURES (PHOENIX – AWARD BIOS) ou MAIN (American Megatrends Inc.) Então verifique os seguintes ítens:

1º Teste: Ele aparece na BIOS? Se a resposta é sim, o problema já não está na placa lógica/eletrônica externa.

2° Teste: Ligue o cabo de energia nele e observe se o HD vibra. Se ele não vibra (como se os discos estivessem rodando), então o problema pode ser apenas na placa lógica/eletrônica externa.

Se ele vibra, mas não faz barulho: Coloque-o no ouvido (ou use um estetoscópio) e verifique se está fazendo algum ruído. Se o houver ruídos do tipo estalos, provavelmente a cabeça de leitura está se movendo e causando estragos.

Em alguns casos uma leve pancada pode fazer a cabeça se afastar do disco. Geralmente este tipo de problema não tem solução, mas vale a pena fazer um orçamento numa empresa especializada na área de recuperação de dados.

3º Teste: Quando o HD não é detectado na BIOS… Ótimo, talvez o problema pode ser solucionado com a troca da placa lógica externa. A placa pode ser trocada como em todo equipamento eletrônico, porém, deve-se levar em conta: Marca/Modelo/Série (ex: WD Caviar Blue WD3200AAJS-00L7A0 HD da Western Digital de 320 GB) têm que ser idênticos;

Fique de olho no formato da placa, além dos dados de identificação previamente citados. Alguns componentes da placa também podem ser trocados, basta que exista um técnico em eletrônica disposto à fazer isto.

Alguns casos de barulho na cabeça de leitura podem ser solucionados congelando o HD. Se o HD tiver cabeças de leitura arranhando as trilhas, impossibilitando o acesso a seus dados, deixá-lo no freezer fará com que os cilindros se contraiam e assim as cabeças desencostarão das trilhas. Por um intervalo curto de tempo (enquanto houver contração nos metais), o HD poderá voltar a girar, até que o HD aqueça. Esse tempo é suficiente para a gravação dos dados em outra mídia, recuperando assim os arquivos desejados. Recomenda-se, por razões óbvias, embalar o HD de forma hermética antes de inseri-lo no freezer. Portanto, veja ressalvas no link abaixo.
Fonte: site Tecmundo

Veja neste vídeo uma segunda opção:
             

Para saber mais dicas sobre o assunto acesse: 



14 setembro 2014

The Commodores - O Romatismo da Soul Music Americana dos Anos 70



The Commodores é uma banda americana de soul music liderada por Lionel Richie até 1983. Destacam-se músicas como para "Still", "Machine Gun", Easy e "Three Times A Lady". Em 1968 os colegas de escola Milan Williams, Ronald LaPread, Willian King Jr.,Thomas McClary e Walter Clyde Orange juntam-se a Lionel Richie e formam os “The Commodores”. Logo no início da carreira, a banda participou de uma audição onde foram escolhidos para abrir a turnê do grupo formado pelos irmãos de Michael Jackson, os Jackson. Dois anos depois de percorrer o mundo com a turnê dos Jackson 5, os Commodores lançam seu primeiro álbum.

Em 1974 lançam “Machine Gun” e começam a trilhar uma carreira de sucesso com 3 discos de platina, e vários hits nas paradas. Lionel Richie se tornou o compositor principal do grupo. “Three Times A Lady”, “Still”, “Just To Be Close To You” e “Easy” foram os hits mais tocados na época em que os The Commodores estavam no auge da carreira.

Com o tempo, Lionel Richie foi-se afastando do grupo em projetos paralelos. Em 1980 produziu e escreveu canções para o disco de Kenny Rogers e, em 1981, ganhou o disco de platina com o dueto formado com Diana Ross para o hit "Endless Love", que foi trilha sonora do filme Amor sem fim.

Após a saída de Lionel Richie, os Commodores ainda tiveram um sucesso mundial, com a canção "Nightshift", do álbum de mesmo nome, em color: #0b0080; text-decoration: none;" title="1985">1985. A sugestão para download é a coletânea "The Commodores - The Ultimate Collection", de 1997, que contém todos os grandes sucessos da banda.

The Commodores - Easy (tradução)

             


The Commodores - Easy (tradução)


Tranquilo

Eu sei que soa estranho
Mas simplesmente não posso suportar a dor
Garota, vou deixá-la amanhã
Ao que parece para mim, garota
Você sabe que eu fiz tudo o que pude
Implorei, roubei e tomei emprestado!

Ooh, é por isso que estou tranquilo
Eu estou tranquilo como as manhãs de domingo
É por isso que estou tranquilo
Eu estou tranquilo como as manhãs de domingo

Por que motivo no mundo alguém colocaria correntes em mim?
Eu paguei minhas dívidas para conseguir
Todos querem que eu seja
O que eles querem que eu seja
Eu não estou feliz quando tento fingir. Não!

Ooh, é por isso que estou tranquilo
Eu estou tranquilo como as manhãs de domingo
É por isso que estou tranquilo
Eu estou tranquilo como as manhãs de domingo

Eu quero estar distante, bem distante
Quero ser livre para saber
Que as coisas que faço são certas
Quero ser livre.
Só eu! Oh, querida!

É por isso que estou tranquilo
Estou tranquilo como as manhãs de domingo
É por isso que estou tranquilo
Estou tranquilo como as manhãs de domingo
Porque eu sou tranquilo
Tranquilo como as manhãs de domingo
Porque eu sou tranquilo
Tranquilo como as manhãs de domingo
Tradução: letras.mus.br

The Commodores - Three Times A Lady (tradução)

            


The Commodores - Three Times A Lady (tradução)


Três Vezes Uma Dama

Obrigado pelo tempo que você me deu
As memórias estão todas em minha mente
E agora que nós viemos para o fim de nosso arco-íris
Há algo que eu tenho que dizer bem alto pra fora

Você é uma vez, duas vezes, três vezes uma dama
E eu a amo
Sim, você é uma vez, duas vezes, três vezes uma dama
E eu a amo
Eu a amo

Você compartilhou meus sonhos, minhas alegrias,
Minhas dores
Você fez a minha vida valer a pena para
E (como)se eu tivesse que viver minha vida novamente
Eu gasto a cada momento com você

Você é uma vez, duas vezes, três vezes uma dama
E eu te amo
Sim, você é uma vez, duas vezes, três vezes uma dama
E eu te amo
Eu te amo

Quando estamos juntos, os momentos eu aprecio
Com cada batida do meu coração
Para te tocar, te abraçar, te sentir, precisar de você
Não há nada para nos manter separados

Você é uma vez, duas vezes, três vezes uma dama
E eu te amo
Eu te amo
Tradução: letras.mus.br

The Commodores - Still (tradução)

            


The Commodores - Still (tradução)


Ainda


Amada, a manhã é simplesmente um momento ao longe
E eu estou sem você novamente
Você riu de mim
Você disse que nunca precisou de mim
Eu me pergunto se você precisa de mim agora

Tantos sonhos que escaparam
Tantas palavras que nós não dissemos
Duas pessoas perdidas numa tempestade
Onde nós fomos?
Onde nós iríamos?

Perdemos o que tínhamos encontrado
Você sabe que nós abandonamos um ao outro
Mas, mais que tudo
Eu te amo
Ainda

Nós jogamos os jogos que as pessoas jogam
Cometemos erros pelo caminho
De alguma maneira eu sei no fundo do meu coração
Que você precisou de mim
Porque eu precisei de você tão desesperadamente
Nós estávamos cegos demais para ver
Mas, mais que tudo
Eu te amo
Ainda
Tradução: Vagalume

13 setembro 2014

Bandas Brasileiras De Rock Progressivo (letras E, F, G, H, I e J)



Hoje relacionaremos os nomes  e o subgênero musical  das bandas prog brasileiras mais conhecidas cujos nomes se iniciam com as letras "E, F, G, H, I e J".

ECLIPSE - Symphonic Prog
EUMIR DEODATO - Jazz Fusion

FREAKEYS - Progressive Metal
FRITSCH, ELOY - Prog Related

GRANDBELL - Symphonic Prog
GREENSLEEVES - Progressive Metal

HADDAD - Crossover Prog
HELMERSON, ANDERS - Symphonic Prog
HEROD LAYNE - Post Rock
HOLLOWMIND - Progressive Metal
HURTMOLD - Post Rock

III MILÊNIO - Symphonic Prog
IMAGERY - Heavy Prog
INDEX - Symphonic Prog
INVISIBLE OPERA COMPANY OF TIBET - Psychedelic / Space Rock

JOBIM, GUSTAVO - Progressive Electronic
Fonte: Progarchives e acervo pessoal

12 setembro 2014

Gregorian - Maravilhosa Mistura de Canto Gregoriano com o Pop e o Rock



Gregorian é um projeto musical alemão, liderado por Frank Peterson, onde o grupo canta versões modernas das músicas pop e rock dos anos 60, 70, 80, 90 e 2000, promovendo uma maravilhosa mistura destes com o canto gregoriano, o que acabou se transformando num dos mais bem sucedidos projetos pop de fusão clássica.

Originalmente, Gregorian foi considerado como mais um grupo pop-oriental no estilo da banda Enigma. Seguindo esta idéia, foi gravado o álbum de 1991, Sadisfaction, com os vocais feitos pelas cantoras do The Sisters of Oz: Susana Espelleta (que na época era a mulher de Peterson) e Birgit Freud. Entretanto, este foi só o primeiro e o único álbum neste estilo, que mais tarde (oito anos depois) conceberia o novo e atual projeto Gregorian.

Isto foi em 1998, quando Peterson e seu pessoal reinventaram o projeto optando em transformar sons populares em estilos gregorianos, transformando o som do grupo em um novo subgênero musical ainda não experimentado. Os critérios para a seleção das músicas eram bem rigorosos e para ser considerada apta a canção precisaria ser transpassável em uma escala de 7 tons. Somente depois das músicas escolhidas é que foram contratados doze vocalistas, previamente escolhidos através de uma sessão de testes de coro.

Este novo conceito musical provou ser um sucesso e o grupo continuou gravando mais álbuns, como, por exemplo, os discos da saga Masters of Chant. Também gostei muito do disco The Dark Side, lançado em 2004, ao qual foi dado maior ênfase ao elemento rock e incluindo também músicas do Nine Inch Nails e The Doors. Além deste, para aquisição, sugiro também os 9 volumes de tema Masters of Chant Chapter, lançados entre 1999 e 2011; todos maravilhosos. O grupo faz um som leve, muito agradável e competente, deixando passar a idéia e o sentimento de um equilibrio perfeito entre o sagrado e o quase profano.. Não deixem de conhecer!
Fonte: Wikipedia

Gregorian - Sweet Child Of Mine

             

Gregorian - Wish You Were Here

             

Gregorian - Bridge Over Troubled Water

             

08 setembro 2014

Arion - Outra Raridade Do Prog Mineiro



A banda mineira Arion de rock progressivo sinfônico iniciou suas atividades na cidade universitária de Viçosa, Minas Gerais, certamente, um orgulho para nós. Surgiu do embrião da banda Magma, fundada em 1993, cujos integrantes Thyaga (voz), Luciano Soares (guitarras), Sérgio Paolucci (teclados), Carlos Linhares (baixo) e Nelson Rosa (bateria) faziam músicas próprias com influências da música regional, da MPB e do rock progressivo.

Com a entrada em 1997 da cantora Tânia Braz, o grupo redirecionou o foco para o que era a idéia inicial da banda, ou seja, o rock progressivo. Assim a banda foi rebatizada com o novo e atual nome Arion.

Em outubro de 2001 a banda lançou seu primeiro CD intitulado "Arion". Esse CD, que foi originalmente lançado pela Progressive Rock Worldwide e depois relançado pela Rock Symphony no Brasil e pela gravadora francesa Musea na Europa, foi muito bem recebido pela critica nacional e internacional, e rendeu ao grupo o prêmio de melhor álbum de rock progressivo brasileiro de 2001 pelo portal Rock Progressivo Brasil.

Hoje a banda aguarda a volta do tecladista ítalo-brasileiro Sérgio Paolucci, que mora na Itália, onde trabalha e estuda música, para dar continuidade ao trabalho de gravação do segundo álbum, bem como a realização de novos shows. Pena que o segundo está demorando muito para sair, mas certamente será também coisa boa.

O grupo realizou shows importantes apresentando-se em concertos e festivais internacionais como o Festival Minas Prog, onde dividiu o palco com as bandas Quidam (Polônia), Tryo (Chile) e Xang (França). Em 2002 abriu o primeiro show na América do Sul para a lendária banda holandesa Focus, transmitido para todo o Brasil pela Rede Minas de Televisão. Foi também convidado para abrir o show do grupo setentista inglês Caravan, na 9ª edição do Rio ArtRock Festival, que é referência no circuito progressivo internacional realizado todos os anos no Rio de Janeiro.

 No meu parecer pessoal, para os fãs do progressivo sinfônico, este álbum se mostra bem harmônico, chegando mesmo a nos emocionar no desenrolar da audição. A voz de Tânia Braz tem muito da suavidade de Annie Haslamn da banda Renaissance. Quanto aos instrumentistas, parece que gostam mesmo do que fazem. Ao ouví-los, percebemos isto, não só pela grande competência de todos eles, mas também pelo empenho com que se dedicam à execução de suas músicas. Nota-se aí uma paixão incindicional pelo progressivo.

È notória uma grande influência de bandas como Yes, Renaissance e Marillion, que se enredam com um pouco de erudito, algumas pitadas de jazz e prováveis vestígios de MPB. É um disco difícil de se encontrar, mas podem comprar sem medo de errar, pois ele  é altamente recomendável aos amantes do rock progressivo. Fui encontrá-lo uns dois anos depois do seu lançamento. A capa é esta aí em cima.


Arion - Arion

            

05 setembro 2014

Majority One - Sucesso Inglês Dos Anos 70



Não se sabe muita coisa sobre esta banda inglesa, a não ser que faziam um rock pop psicodélico bem melódico e se formaram em 1964 com o nome de "The Mustangs". Depois mudaram para Londres onde lançaram oito singles e foi quando resolveram também mudar o nome da banda para "The Majority One". Isto já era 1968.

No final deste mesmo ano gravaram com Barry Ryan a música"Eloise ", que foi hit de sucesso ficando entre as 10 mais tocadas na Inglaterra. O primeiro sucesso da banda propriamente foi o single "Charlotte Rose", escrito por George Alexander, do Grapefruit.

Mas, verdadeiramente, os dois grandes sucessos  comerciais, que alcançaram reconhecimento mundial, vieram em 1971 com a música "Because I Love" e "Rainbow Rockin' Chair", que fizeram muito sucesso aqui no Brasil, inclusive.

A banda era formada por: Barry Graham (vocals), Roger France (lead guitar), Rob Long (guitar), Ken Smith (bass) e Don Lill (drums). Seguem os vídeos dos dois maiores sucessos da banda aqui no Brasil e a indicação do disco "Majority One - Rainbow Rockin' Chair The Definitive Collection 1969-1971", lançado em 2004, para download. A capa do disco está ilustrada acima.

Majority One - Rainbow Rocking Chair (tradução)

            


Majority One - Rainbow Rocking Chair (tradução)


Cadeira de balanço do arco-íris

Lá em cima no céu,
em terras acima das nuvens, até agora, ser solitário ...
Quando meu avião está de cabeça para baixo,
olha como se eu estivesse numa cadeira de balanço do arco-íris.

Em direção ao sol e perder altitude,
Para baixo para o chão e até árvores

Quando ligo meu avião de novo,
o mar está no ar,
e parece que vai chover.

Se chover, então eu vou ser seguro,
tem que ter a minha cadeira de balanço sorte do arco-íris

Em direção ao sol e perder altitude,
Para baixo para o chão e até árvores

Lá em cima no céu,
em terras acima das nuvens, até agora, ser solitário ...
Quando meu avião está de cabeça para baixo,
olha como se eu estivesse numa cadeira de balanço do arco-íris.

Cadeira de balanço do arco-íris.
Tradução: letras.mus.br

Majority One - Because I Love (tradução)

03 setembro 2014

Tigres De Bengala - Relembrando Sucessos Do Início Dos Anos 90



Esse disco de 1993 da banda "Tigres De Bengala" foi um projeto que reuniu  músicos consagrados na época, como Ritchie, Cláudio Zoli, Vinícius Cantuária, Dadi e Mú (da banda "A Cor do Som"), além de Billi Forghieri e outros. A música de trabalho do disco, "Agora e Jamais", fez um enorme sucesso nas rádios da época. O disco é todo bom, valendo a pena adquirí-lo ou baixá-lo na internet. Confiram!

Tigres De Bengala - Agora E Jamais

            

Tigres De Bengala - Elefante Branco

            

02 setembro 2014

Bandas Brasileiras De Rock Progressivo (letras B, C e D)



Dando continuidade ao pedido de um leitor hoje relacionaremos os nomes  e o subgênero musical  das bandas prog brasileiras mais conhecidas cujos nomes se iniciam com as letras "B, C e D".

BACAMARTE - Symphonic Prog
BAD SALAD - Progressive Metal
BANDA DO SOl - Crossover Prog
BATTESINI, SAULO - Neo-Prog
BENCHIMOL, SERGIO - Eclectic Prog
BLACK SEA - Experimental/Post Metal
BLEZQI ZATSAZ - Symphonic Prog
BLUE MAMMOTH - Neo-Prog

CÁLIX - Prog Folk
CARAVELLUS - Progressive Metal
CARTOON - Eclectic Prog
CASA DAS MÁQUINAS - Prog Related
CHEIRO DE VIDA - Jazz Rock/Fusion
CHRONOS MUNDI - Symphonic Prog
CINEMA SHOW - Crossover Prog
COBALT BLUE - Psychedelic/Space Rock

DEVENTTER - Progressive Metal
DEUS NUVEM - Experimental Prog/RIO/Avant-Prog
DIAPASÃO - progressive Rock/Symphonic Prog
DOGMA - Symphonic Prog
DIALETO - Heavy Prog
DYNAHEAD - Progressive Metal
Fonte: Progarchives e acervo pessoal

                            Encontre-nos nas Redes Sociais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...