Cabeçalho do Blog

bandeira-brasil-imagem-animada-0009
Encontre-nos
PREZADOS LEITORES! À PARTIR DE HOJE ESTAREMOS POSTANDO AS ATUALIZAÇÕES DO BLOG NO NOVO ENDEREÇO ABAIXO: www.batebocamusical2.blogspot.com.br batebocamusica2

07 agosto 2012

Saibam Mais Sobre O Verdadeiro FUNK



     O "Funk" é uma modalidade bem característica da música negra norte-americana, criado ainda nos anos 60, quando resolveram misturar alguns estilos musicais como o soul, o jazz e o rythm and blues (R&B), criando uma nova forma rítmica e dançante, onde a melodia e a harmonia foram meio que preteridas, em favor de uma densa presença do baixo, da bateria com batidas repetitivas e sincopadas, do ritmo característico das guitarras e do vocal num estilo próximo ao "soul music", e fartamente acompanhado de uma forte e rítmica seção de metais. A isto dá-se o nome de "Funk".

     Este estilo musical é comumente baseado em um único acorde, diferente das músicas de R&B, que são baseadas em séries progressivas de acordes. Mas foi somente com as inovações de James Brown, juntamente com Maceo Parker e Melvin Parker,  mais a banda "Sly and the Family" é que, em meados dos anos 60, o funk passou a ser realmente considerado como um gênero musical. Na tradição do R&B, estas bandas, bem ensaiadas, criaram um estilo instantaneamente reconhecível, repletos de vocais e coros e de um acompanhamento cativante.

     Nos anos 70, o funk exerceu grande influência nos compositores de jazz, como Miles Davis, Herbie Hancock, George Duke, Eddie Harris e muitos outros. Nesta década, George Clinton, com suas bandas Parliament, e, posteriormente, Funkadelic, desenvolveu um tipo de funk mais pesado, influenciado pelo jazz e rock psicodélico. As duas bandas tinham músicos em comum e eram conhecidos como "Funkadelic-Parliament". O surgimento do Funkadelic-Parliament deu origem ao estilo chamado P-Funk, que se referia tanto à banda quanto ao subgênero que desenvolveu. Muitos outros grupos de funk surgiram nos anos 70 como: "B.T. Express", "The Commodores", "Earth, Wind & Fire", "War", "Lakeside", "Brass Construction", "KC and the Sunshine Band", "Kool & The Gang", "Chic", "Cameo", "Fatback", "The Gap Band", "Bar-Kays", "Instant Funk", "The Brothers Johnson", "Ohio Players", "Wild Cherry", "Skyy", e músicos e cantores como "Jimmy Bo Horne", "Rick James", "Chaka Khan", "Tom Browne", "Kurtis Blow" (um dos precursores do rap), e os popstars "Michael Jackson" e "Prince".




     Nos anos 80, o funk tradicional perdeu um pouco da popularidade nos EUA, à medida em que as bandas se tornavam mais comerciais e a música mais eletrônica. Seus estilos derivados, o "rap" e o "hip hop", porém, começaram a se espalhar, com bandas como "Sugarhill Gang" e "Soulsonic Force", em parceria com "Afrika Bambaataa". A partir do final dos anos 80, com a disseminação dos "samplers", partes de antigos sucessos de funk, principalmente dos vocais de James Brown, começaram a ser copiados para outras músicas pelo novo fenômeno das pistas de dança, a "house music". Os anos 80 viram também surgir o chamado funk metal, também conhecido como funk rock, uma fusão entre guitarras distorcidas do heavy metal e a batida do funk, em grupos como "Red Hot Chili Peppers" e "Faith No More". Nesta época surgiu também algumas outras derivações do funk como o "Miami Bass", "DEF", e a ramificação latina da "Freestyle Music" conhecida no Brasil como "Funk Melody" que também faziam grande uso de samplers, caixas de ritmos, incluindo a bateria eletrônica e sintetizadores. Tais ritmos se tornaram combustível para os movimentos "Break" e "Hip Hop".

     A palavra funk era normalmente considerada indecente. Até o fim dos anos 50 e início dos 60, quando “funk” e “funky” eram cada vez mais usadas no contexto da soul music, as palavras ainda eram consideradas indelicadas e inapropriadas para uso em conversas educadas.

     A essência da expressão musical negra norte-americana tem suas raízes no espiritual, nas canções do trabalho, nos gritos de louvor, no gospel e no blues. Na música mais contemporânea, o gospel, o blues e suas variantes tendem a fundir-se. O funk se torna assim uma fusão do soul, do jazz e do R&B.

     Como podemos notar, este pretenso funk que existe por aqui, de funk mesmo não tem praticamente nada, e que, comparado com o verdadeiro, acaba se transformando numa pretenciosa e ridícula brincadeira de mau gosto!  O nome deste estilo, se é que podemos cometer o sacrilégio de classificá-lo como música, deveria ser alguma coisa em torno de "porcariadão"... digo, "pancadão" e  não "funk", porque, realmente, soa como uma discrepante e desagradável barulhada espancando ouvidos apurados. É de doer!!!...


5 comentários:

  1. Pensava q funk era original do Brasil,mas o nosso Funk não é só pancadão, existem várias músicas boas, com letras sem palavrões e um ritmo que só o funk brasileiro tem.. não podemos generalizar... e pra ser sincera, quando toca um funk, ninguém fica parado..rs...

    ResponderExcluir
  2. Aqui no Brasil o verdadeiro Funk teve início com Toni Tornado !

    ResponderExcluir



                                                     AVISO IMPORTANTE:
       Amigos, informamos que não atenderemos pedidos de links feitos através dos "Comentários", pelas "Redes Sociais", ou ainda pelo "Chat" do blog. Com o intuito de    agilizarmos o atendimento os leitores deverão usar exclusivamente o "Email" do blog.
 

                            Encontre-nos nas Redes Sociais

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...